O que é o Talmud

Qual a importância do Talmud? O que é a Torá Oral?

O Talmud é conhecido como uma das obras centrais do pensamento judaico. Ele é tão importante que o judeu passa a maior parte de sua vida estudando esta obra. Mas o que vem a ser o Talmud? O Talmud é reconhecido como um compêndio de escritos que abrange uma gama de assuntos: leis, sabedoria e tradições judaicas. Daí a sua importância.
Como surgiu o Talmud? Durante os 40 anos em que o povo hebreu esteve no Deserto de Sinai, Moisés, o maior de todos os profetas, mantinha uma comunicação contínua com Deus. Dessa forma, assim que ele recebia o versículo bíblico ditado por Deus, também recebia as informações necessárias para que o povo judeu pudesse cumprir os mandamentos de acordo com o desejo de Deus. Sob a orientação direta de Deus, Moisés não somente escreveu a Torá Escrita (Pentateuco), como também explicou minuciosamente cada mandamento nela contido.
Por exemplo está escrito na Torá Escrita:

דבר אל בני ישראל ואמרת אלהם ועשו להם ציצת

במדבר טו:לח

Fale com os filhos de Israel e diga a eles e que eles confeccionem para eles Tzitzit

Números 15:38
Imagem de um Tsitsit com os fios de Tchelet (Azul) e um sem
Mas se a transmissão de boca em boca teve tanta importância e durou tanto tempo, por que acabou sendo compilada em livros?
O povo judeu sofreu inúmeras perseguições, físicas e espirituais. Muitos foram os povos que não somente quiseram aniquilar o povo judeu fisicamente, mas também procuraram destruir toda a sua cultura. Os sábios perceberam que seria muito arriscado manter este conhecimento como uma tradição exclusivamente oral, este elo se fragilizaria e poderia ser rompido facilmente.
Os textos da Tradição Oral começaram a ser compilados aos poucos. Primeiro reuniu-se uma coletânea de ensinamentos concisos, escritos em hebraico, sobre inúmeras leis e sobre a sabedoria judaica, a Mishnah; a Mishnah evoluiu, os dados aumentaram muito e finalmente compilou-se o Talmud propriamente dito. Esses ensinamentos foram reunidos em duas grandes coleções, o Talmud de Jerusalém, que contém os ensinamentos dos rabinos na Terra de Israel, e o Talmud da Babilônia, que apresenta os ensinamentos dos rabinos da Babilônia. Essas duas obras estão escritas nos dialetos aramaicos usados em Israel e na Babilônia, respectivamente.
Posteriormente escreveram-se muitos comentários sobre os textos. Os principais são as notas elucidativas de Rashi (Rabino Shlomo Yitzchaki, França do século X) e as dos Tosafot (um grupo de rabinos que viveu nos anos seguintes a Rashi, muitos dos quais eram seus descendentes e / ou seus alunos).
Nos séculos seguintes, os sábios continuaram a ensinar e a trazer luz sobre os textos compilados, sem esquecer o objetivo primitivo da tradição Oral, que era elucidar e iluminar o pensamento da Torá. E como cada geração precisava de um formato e de uma linguagem diferente, mas sempre preservando o conteúdo, foram se juntando mais e mais comentaristas.
Os comentários de Rashi e as Tossafot são impressos junto com o Talmud da Babilônia, em torno do texto principal, tornando-se parte do estudo do Talmud. A edição padrão do Talmud Babilônico compreende 2.711 páginas em frente e verso, e há muitas, muitas outras páginas preenchidas com os ensinamentos de outros comentaristas.
A primeira página do Talmud, como aparece nas edições padrão, mostra o texto básico cercado pelos comentários de Rashi, Tosafot e outros.

As Seções do Talmud

O Talmud é dividido em seis seções gerais, chamadas sedarim (“ordens”):
  • Zera’im (“Sementes”), que lida principalmente com as leis agrícolas, mas também com as leis de bênçãos e orações (contém 11 tratados).
  • Mo’ed (“Festival”), que trata das leis do Shabat e dos feriados (contém 12 tratados).
  • Nashim (“Mulheres”), que trata de casamento e divórcio (contém 7 tratados).
  • Nezikin (“Danos”), que trata do direito civil e criminal, bem como da ética (contém 10 tratados).
  • Kodashim (“coisas sagradas”), lidando com leis sobre os sacrifícios, o Templo Sagrado e as leis alimentares (contém 11 tratados).
  • Taharot (“Puridades”), que trata das leis da pureza ritual (contém 12 tratados).

Referência da Toral Oral na Bíblia

“Você deve fazer de acordo com a palavra que eles lhe disserem, do lugar que o Senhor escolher, e você deve observar o que deve fazer de acordo com todas as instruções.” Quer dizer que se deve agir de acordo com a lei que eles o instruírem e de acordo com o julgamento que lhe disserem; e você não deve se desviar da palavra que lhe disserem, nem para a direita nem para a esquerda.
As tradições da Torá Oral foram passadas de geração em geração, de Moisés a Josué e de lá para os líderes e sábios de cada geração, e após a destruição do Segundo Templo, elas foram escritas no que é conhecido como Mishnah, Talmud Bavli (Talmud Babilônico) e Talmud Yerushalmi (Talmud de Jerusalém).

Leave a Reply

1
Shalom! Posso te ajudar?
Shalom!
Você tem alguma dúvida?
Talvez se aconselhar com um dos nossos Rabinos?Entre em contato com o Rabino Rony Gurwicz
Powered by