Lilith na Bíblia

Lilith realmente existiu? Adão realmente teve uma primeira esposa?É possivel econtrar trechos sobre Lilith na Bíblia? O que a Lilith representa como um símbolo?

No p rimeiro capítulo do Livro de Gênesis (hebraico: Sefer Bereshit) encontramos uma resumida descrição do processo de criação do universo. Logo no início, é possível acompanhar a formação de Adão (hebraico: Adam), o primeiro “homem”. Contudo, com espanto, também descobrimos que ele se encontrava sozinho nesse momento! Onde estava Eva (hebraico: Chava), sua famosa companheira?! Como todos sabemos, ela igualmente foi seduzida e enganada pela serpente a comer do fruto proibido! Portanto, obviamente, ela também deveria estar presente no Jardim do Eden (hebraico: Gan Eden). Sendo assim, por que ela não figura no início da vida de Adão? Seria essa uma prova da existência de Lilith na Bíblia?
A criação de toda a realidade encontra-se descrita em poucas linhas. Porém, há muitos detalhes e informações que não são reveladas no texto em si. Esses dados, entretanto, são extensivamente discutidos em fontes místicas e cabalísticas. Estas fontes revelam algo contrário do que o texto bíblico nos dá a entende. Eva não foi a primeira esposa de Adão! Antes dela, na verdade, o primeiro homem teve outra parceira. Por conta da incompatibilidade das personalidades, porém, o relacionamento com essa mulher, chamada Lilith, não perdurou. Logo, então,  Deus lhe concedeu uma nova companheira, que, dessa vez, era a  Eva que conhecemos.
A história de Eva e Lilith na Bíblia é muito interessante, porém, antes, há uma válida pergunta a ser feita! Por que motivo elas sequer precisavam existir? Ou seja, qual a real necessidade da criação de uma companheira para Adão? Como é possível verificar na própria Bíblia, todos os animais foram criados com seus pares logo de início! Isso não aconteceu com Adão. Dessa forma, Deus, então, estaria nos passando a impressão de que Adão era um ser autossuficiente. De que na realidade, ele seria diferente dos outros animais e não precisava de uma parceira. Sendo assim, por que ele não continuou sozinho?
Contudo, é possível encontrar uma resposta para tais questões em uma afirmação do próprio Criador:

לא טוב היות האדם לבדו אעשה לו עזר כנגדו

בראשית ב:לח

Não é bom que o homem esteja só

Gênesis 2:18
Sendo assim, ao que parece, a chave para a compreensão desse tema encontra-se nesse versículo. Então, resta-nos buscar entendê-lo melhor para solucionar esse enigma.

Primeira esposa de adão

Adão teria mesmo sido criado sozinho? A Torá Oral busca explicar e complementar as lacunas existentes na Torá Escrita. Mesmo que não haja nenhuma alusão direta de Lilith na Bíblia, a Torá Oral está repleta de menções à Lilith. E o mais interessante, não só como a primeira esposa de Adão, mas também como a mãe dos Demônios!
Vamos analisar um interessante versículo da Bíblia que alude à existencia de Lilith e sua respectiva explicação na Torá Oral:

יאמר האדם זאת הפעם עצם מעצמי ובשר מבשרי לזאת יקרא אשה כי מאיש לקחה־זאת

בראשית ב:כג

Porque Adão diz "E o homem disse: Desta vez está é osso dos meus ossos carne da minha carner!

Gênesis 2:23
Esse versículo segundo aponta uma alusão à Lilith na Bíblia e o Talmud põe a sua atenção em dois pontos importantes desse versículo:
  • Adão disse “desta vez” – dando a entender que já houvera “uma vez passada”.
  • Adão exclama que esta mulher não é só “osso dos meus ossos”, más também, supostamente, “carne de sua carne”.
Qual a importante desses dois pontos? A explicação para estas duas exclamações de Adão  é que realmente Adão tivera outra esposa antes da Eva! Poranto, consequentemente, ele usa da expressão “desta vez”e também “osso do meu osso”!
A ideia é que sua primeira esposa era dura como um osso e sua relação com elam seca como osso.  A Cabalá revela que Lilith era uma pessoa extremamente crírtica e auto-centrada. Já a expressão “carne da minha carne” é relativa á “osso do meu osso” trazendo a ideia de que sua segundo esposa Eva possuia atributos mais tênues em relação à Lilith.
Apesar das inúmeras fontes sobre Lilith na Bília (Torah Oral e Escrita), os grandes sábios cabalistas são claros no seu veredito: A Lilith não pode ser encarada como uma entidade real, mas sim como uma ideia, um conceito. Existem duas dimensões básicas no relacimento interpessoal, em especial no relacionamento amoroso:
  • “Osso do meu osso” – Uma relação seca e inflexivel. Ambos os parceiros buscando, exclusivamente o seu ponto de vista na relação.
  • “Carne da minha carne” – Uma relação flexivel e harmônica. Quando duas pessoas, apesar do seu ego, buscam compreender empaticamente a posição do seu parceiro.
O interessante é que Lilith não é somente vista como uma simples mulher, porém há trechos na Torá Oral que apontam que esta mulher além de má é a mão dos Demônios! Aqui um exemplo de duas citações sobre a Lilith uma no Zohar e no Talmud respectivamente:

ודא איהו לילי"ת אימא דשדין

זהר חלק ב רסז ב

Ela a Lilith é a mãe dos Demônios.

Zohar, Parte 2 - 267

אמר רבי חנינא: אסור לישן בבית יחידי, וכל הישן בבית יחידי אחזתו לילית

שבת קנא ב

Disse o Rabi Chanina: É proibido a um homem dormir só, pois todo aquele que dorme sozinho é influenciado pela Lilith

Shabat - 151-B

Lilith como uma Metáfora

Lilith representa a pessoa (homem ou mulher) que cultiva o seu egoísmo! A Torá explica que para que um relacionamento seja harmonioso, os dois envolvidos na relação devem estar inteiramente empenhados em penetrar o mundo do outro. Não há como crescer juntos se cada um habitar apenas em si mesmo.
Em primeiro lugar, é necessário entender que, infelizmente, há no ser humano uma forte tendência ao egocentrismo e ao orgulho. Ao pensar somente em si como o centro de tudo, todavia, o indivíduo acaba retirando o Criador da “equação” de sua vida, afastando a presença divina de si.
Tendo isso em mente, o grande comentarista bíblico Rashi afirma que não era bom que o homem estivesse só, pois, se assim permanecesse, acabaria desenvolvendo o orgulho e o egocentrismo, dois dos traços de caráter mais repudiados pelo Todo Poderoso. Percebendo-se só, Adam poderia chegar a seguinte conclusão: “Deus é único entre os seres celestiais, não possuindo um par, porém, da mesma forma, eu também sou único entre as criaturas terrenas. Assim, Ele domina nos mundos superiores e eu domino nos mundos inferiores.”
Os eruditos da Torá explicam que, na verdade, o corpo do primeiro ser humano era composto de atributos masculinos e femininos. Pela necessidade, contudo, de evitar a egocêntrica linha de raciocínio mencionada, Deus, retirou a mulher das costelas de Adam, separando-os em dois seres independentes e, obviamente, segundo nossos sábios, de equivalente relevância.
Analisando a situação por esse ângulo, podemos entender o motivo dessa separação e da criação de uma companheira para Adam. Sem ela, a soberba poderia levá-lo a crer que ele era autossuficiente, independente e o soberano de sua vida e de seu mundo e, com esses tipos de pensamentos, onde ele estaria dando abertura para incluir a presença e a influência de Deus em sua vida…? Sendo assim, é fácil perceber o quão terríveis são tais sentimentos, pois vão de encontro à própria razão da criação do homem, que é utilizar esse mundo para aproximar-se cada vez mais do Todo Poderoso!
Apesar da grande dificuldade desse desafio, polir os traços de caráter é uma das principais missões do ser humano no mundo. Assim, a partir dessa lição do Chumash, devemos aprender que a busca pela humildade, de fato, é uma das principais chaves para nos aproximarmos cada vez mais de Deus.

Leave a Reply

1
Shalom! Posso te ajudar?
Shalom!
Você tem alguma dúvida?
Talvez se aconselhar com um dos nossos Rabinos?Entre em contato com o Rabino Rony Gurwicz
Powered by